Os 10 Crackers mais procurados do mundo pelo FBI

Cracker [cráquer] é o termo usado para designar o indivíduo que pratica a quebra de um sistema de segurança de forma ilegal ou sem ética. Este termo foi criado em 1985 por hackers em defesa contra o uso jornalístico pejorativo do termo “hacker”.

Veja abaixo dez nomes que fazem parte da lista e confira os outros 31 suspeitos procurados pelo FBI clicando aqui.

1. Evgeniy Mikhailovich Bogachev

Cracker

Também conhecido pelo apelido “Slavik”, este cracker russo já foi considerado um dos maiores nomes do cibercrime. Ele é criador de um malware chamado “Zeus” que foi usado para capturar números e senhas de contas bancárias. O FBI oferece uma recompensa de US$ 3 milhões por informações sobre Bogachev.

2. Alexsey Belan

Reprodução

Em 2017, este jovem que nasceu na ex-república soviética Letônia foi indiciado por seu suposto envolvimento com uma quadrilha de invasão de sistemas. O grupo hackeou os servidores do Yahoo e roubou dados de 500 milhões de contas do site. O FBI oferece US$ 100 mil de recompensa por informações sobre ele.

3. Mohammad Saeed Ajily

Reprodução

Este iraniano de 37 anos hackeou os servidores de uma empresa privada de segurança que prestava serviços para o governo dos Estados Unidos em Vermont. Em ataques coordenados entre 2007 e 2013, ele teria roubado códigos de programas de gerenciamento de foguetes e os vendido no Irã.

4. Gholamreza Rafatnejad

Reprodução

Também nascido no Irã, Rafatnejad é acusado de ser um dos fundadores da Mabna, uma empresa especializada em invasão de sistemas que prestava serviços para governos de diversos países e para a Guarda Revolucionária Iraniana, uma divisão das forças armadas do país.

5. Behzad Mesri

Reprodução

Talvez o mais famoso da lista, Mesri também é conhecido pelo apelido de “Skote Vahshat”. Ele seria o responsável pelo ataque cracker que vazou roteiros, argumentos e episódios inteiros da série de TV “Game of Thrones” em 2017, cobrando um resgate de US$ 6 milhões em Bitcoin da emissora HBO.

6. Ahmad Fathi

Reprodução

Este criminoso é procurado pelo FBI por ter sido um dos líderes de um ataque coordenado de negação de serviço (DDoS) que atingiu 46 cidades dos Estados Unidos entre 2011 e 2013. Ele é diretor e dono de uma empresa chamada ITSecTeam, acusada de participar do ataque.

7. Hamid Firoozi

Reprodução

Firoozi era gerente de redes na ITSecTeam, a empresa de Fathi acusada de coordenar ataques de DDoS contra os EUA. Ele teria trabalhado num ataque contra a represa Bowman, que fica na pequena cidade de Rye, em Nova York. O FBI suspeita que a invasão tenha sido por engano – o alvo original seria a represa Bowman que fica em Oregon.

8. Sun Kailiang

Reprodução

Um ex-militar chinês também é procurado pelo FBI. Kailiang seria líder de um grupo de crackers que atacou empresas privadas e órgãos do governo dos EUA entre 2006 e 2014. O ex-militar e sua equipe foram os primeiros estrangeiros alvos de acusações criminais na Justiça norte-americana.

9. Firas Dardar

Reprodução

Dardar é acusado de envolvimento com o Exército Eletrônico da Síria (SEA, na sigla em inglês), um grupo de crackers supostamente apoiado pelo governo sírio. O grupo teria roubado dados de agências estatais dos EUA e também empresas privadas, como os jornais The Washington Post, The New York Times e CNN.

10. Mohammad Sadegh Ahmadzadegan

Reprodução

Este invasor de sistemas é fundador de uma empresa chamada Mersad Company que, juntamente com o ITSecTeam, teria organizado ataques de DDoS contra os EUA. Ahmadzadegan também é ex-membro de um grupo de crackers que assumiu responsabilidade por roubar documentos da Nasa em 2012.

Via: olhardigital